sábado, 31 de agosto de 2013

Casa Velha onde as Lembranças Vivem

Essa velha casa, apoiada em uma indestrutível armação de aroeira é um passado chegando até nossos dias
(Saída para Campo Alegre) . ---- Talvez tenha sido bom, em outros tempos como seria bom no hoje, puxar duas cadeiras e estar naquela sombra que se projeta atrás e à esquerda; conversando com velhos amigos, enrolando um pito de fumo bom e palha escolhida. Ainda hoje perceberíamos que a sombra fresca de velhas casas inspira, envolve, refresca a alma e nos leva a velejar, sem pressa alguma; contando casos, fazendo observações sobre o tempo e a vida, abordando coisas e fatos; percorrendo até mesmo a vida dos outros com cuidado e parcimônia para não ofender nem prejudicar ninguém. Também a sombra é velha e o seu frescor é antigo e tem cheiro de antiguidades. À sombra desta velha casa, apurando bem os ouvidos, aguçando a alma; poderíamos ouvir,lá de dentro, o burburinho das gentes que em outros tempos a habitaram. Alguém mais velho poderia nos contar histórias das vidas outrora aí vividas. Por muitas horas ainda se poderia, sentindo a brisa fresca, mergulhar na imaginação ignorando o progresso e, assim alongar o olhar em direção ao alto dessa colina e aguardar o surgimento da velha jardineira que todos os dias passa levantando poeira e trazendo gentes e encomendas. - Velha casa... retrato e fragmento de um tempo que jaz eternizado e concretizado em você. Nisso reside sua beleza. (foto gentilmente cedida por Seba Santos ao site Ipameri) 17 de julho às 20:26 · Curtir · 1